Gmail foi bloqueado na China


O serviço de e-mail do Google está bloqueado na China desde sexta-feira passada. Aparentemente a culpa recai sobre o Hiper Firewall que o governo chinês utiliza para filtrar o conteúdo os cidadãos recebem. Tudo isso foi relatado pelo GreatFire.org, um grupo a favor da liberdade e totalmente contra a censura na China.
De acordo com um porta-voz do grupo GreatFire.org, o governo chinês pode estar tentando diminuir a presença do Google no país, a fim de enfraquecer o seu mercado no exterior, e acrescentou que isso pode ser uma tentativa de convencer os usuários a deixarem o Gmail.
Durante 2014 vários serviços do Google foram fechados ou alterados na China. Por enquanto os usuários na China poderão continuar utilizando o serviço via IMAP, SMTP e POP3, por meio de aplicativos de terceiros, como um cliente de e-mail. Todo esse acontecimento me faz lembrar um grande episodio na história do Google, a entrada da empresa no mercado chinês, que desde o inicio sabia das dificuldades que enfrentaria em se instalar na China, mas os interesses econômicos são muito maiores do que qualquer coisa né? Desde os primeiros momentos do Google na China, o buscador era totalmente limitado e restrito a não exibir certos conteúdos que iam contra a censura chinesa. O fato de censurar as buscas acarretou muitas críticas para o Google, devido a regra da informação livre que a gigante das buscas ostentava. Algumas ONGs chegaram a afirmar que a entrada do Google na China era “um dia negro para a liberdade de expressão”
Algumas declarações se tornaram lendárias, como a de Erick Schmidt, atual CEO do Google, que na época afirmou que se o Google não obedecesse as normas e vigências da China, os funcionários seriam presos e torturados. Como se eles não soubessem as consequências que acarretaria estar no mercado chinês.
O próprio Gmail foi alvo do governo chinês em outra ocasião, em 2010 o Google os porta-vozes do Google denunciaram sofisticados ataques contra contas do Gmail. Essas contas pertenciam majoritariamente a dissidentes chineses, ativistas políticos, executivos de empresas ocidentais, jornalistas e membros do governo dos Estados Unidos estabelecidos no país asiático. Os ataques partiram da universidade de elite Shangai Jiaotong. As declarações da empresa deixavam a entender que responsabilizavam altas esferas do Governo Chinês pelos ataques.

O Google chegou a se “impor” e dar um ultimato para que o governo permitisse que suas atividades agissem livremente, como se a China fosse se importar com isso né? Você que está acompanhando esse texto agora, realmente está um pouco surpreso como bloqueio do Gmail? Eu não estou nenhum pingo, “não me venha com churumelas” o Google está na China terminantemente e estritamente por causa de dinheiro, o mercado asiático é cada vez mais promissor pra qualquer empresa, mas para isso é preciso abdicar totalmente de suas filosofias, crenças, e costumes para ser refém de todas as vontades dos governantes chineses.
Acreditar que o Google irá tomar alguma medida drástica, como abandonar de vez o mercado chinês, hipótese esta que já foi testada em alguns anos anteriores é ser bastante inocente, há muito dinheiro em jogo, e por toda essa grana, o Google já aprendeu que não há o que fazer, ou concorda ou cai fora. Só que dessa vez temos uma nova perspectiva, em que a China tenta que o Google saia, isso não será nada bom para a gigante das buscas. Vamos aguardar o desfecho dessa história.

Fonte(s): Reuters