Criador de Mega Man diz que desenvolvedores japoneses "precisam acordar”


Keiji Inafune

Você pode até não conhecer Keiji Inafune, mas com certeza já ouviu falar de sua obra. Ele é o criador do Mega Man, um dos personagens mais clássicos do mundo dos games, que infelizmente, acabou caindo em um ostracismo proporcionado por sua própria empresa, a Capcom. Agora, ele volta em grande estilo não apenas com um sucessor espiritual, mas com um título totalmente inédito, além de um alerta: é hora dos desenvolvedores japoneses acordarem.
Em entrevista, o criador afirmou que existe uma grande demanda, no mercado ocidental, por títulos desenvolvidos por empresas e designers japoneses. Inafune diz não saber exatamente por que isso está acontecendo, mas enxerga que as oportunidades não estão sendo aproveitadas da forma devida, como pode-se perceber na última E3 e sua pequena quantidade de títulos nipônicos em relação às propostas apresentadas por companhias do lado de cá do mundo.
Durante a feira, que terminou nesta quinta-feira (18), o produtor não apenas falou sobre sua nova criação, Mighty No.9, o sucessor espiritual de Mega Man que está prestes a chegar às lojas, como também apresentou Recore. Sua nova franquia, exclusiva para o Xbox One, conta a história de um mundo devastado e dominado por máquinas, que terá que ser descoberto e explorado pelos jogadores. Ambos, para ele, apresentam inovações e mostram que, caso os próprios produtores se desafiem, é preciso criar mais do que o que já está padronizado.
Esse movimento, porém, já está começando a mudar. Sem modéstia, Inafune afirma que seu sucesso no Kickstarter motivou outros a fazerem o mesmo. É o caso, por exemplo, de Koji Igarashi e seu Bloodstained, um sucessor espiritual de outra série abandonada, Castlevania, e também Shenmue III, apresentado com destaque na conferência da Sony com direito à presença de seu criador Yu Suzuki. As campanhas de financiamento coletivo são formas de sentir a temperatura da água e mensurar a recepção do público, na mesma medida em que se abrem as portas para que a visão original dos produtores possa ser realizada.
O lançamento de Mighty No.9 está marcado para o dia 15 de setembro nos consoles e PC, após muitos meses de desenvolvimento e apoio popular. Para Inafune, que se refere aos apoiadores do projeto como “membros da equipe”, não existe pressão nesse tipo de dinâmica, já que a maioria dos jogadores se mostrou bastante receptiva às mudanças. A ideia do game, ao contrário do que pode parecer, não é criar um clone de Mega Man, e sim um título que mostre as evoluções possíveis no personagem, algo que ele não foi capaz de fazer dentro da Capcom.
Para as sequências, porém, ainda é cedo para falar, mas uma coisa é certa: um possível Mighty No.9 2 não deve ser financiado pelo Kickstarter. Agora, Inafune provou seu ponto, e deve se voltar à Deep Silver, distribuidora do título atual, em busca de financiamento para uma possível continuação. Mas isso ainda é algo para se ver no futuro.

Fonte: Engadget
VIa CanalTech