Rosie, Inteligência Artificial para analisar e controlar gastos de Deputados



No Brasil, todo deputado tem direito a um gasto de até R$ 44 mil mensais com atividades parlamentares, além de salários e benefícios. Itens como comida, passagens de avião e combustível entram nessa cota. O parlamentar usa seu dinheiro, envia as notas fiscais para a Câmara dos Deputados e recebe o reembolso pelo gasto.

Diante disso, foi criada a Operação Serenata de Amor, um projeto colaborativo de um software aberto especializado voltado para a fiscalização de gastos no Poder Legislativo. Ele foi iniciado em novembro de 2016, após ser viabilizado por uma campanha de financiamento coletivo. Com o objetivo de analisar cada pedido de reembolso e identificar a probabilidade de ilegalidade por meio da Inteligência Artificial, a iniciativa desenvolveu um robô, chamado de Rosie.

Rosie cruza informações das notas apresentadas para reembolso com outras, como as da Receita Federal, a presença em plenário, a localização e as características do lugar onde a compra foi feita. Em apenas dois meses, o robô descobriu 3.553 casos suspeitos envolvendo a cota parlamentar dos deputados federais de todo o Brasil.


A base de dados utilizada pela ferramenta leva em consideração todos os reembolsos dos deputados que passaram pela Câmara Federal desde 2011. Por orientação jurídica, os nomes dos parlamentares são divulgados apenas depois de os mantenedores do projeto terem tido um retorno da Câmara.

As atividades de Rosie são realizadas na plataforma Jarbas, que é o front end da Operação Serenata de Amor. Desenvolvido com uma mistura de Elm Django, do Python, Jarbas fornece uma funcionalidade de pesquisa e uma maneira de analisar as despesas, uma por uma. Para cada reembolso, é possível ver todos os dados coletados sobre ele, suas fontes e como Rosie o classificou para cada uma das irregularidades que ela é capaz de julgar.

Anúncios